27 abril 2009

Eu e meus vícios

Tenho 26 anos, quase 27,  e já acumulei uma porção de coisas, materiais e imateriais (mais imateriais do que materiais, devo assumir).
Com o tempo percebo que ganhei algumas manias e alguns vícios e, hoje, vou escrever sobre meus, poucos, vícios. E, sem ordem alguma, aí vão.

Família: Mesmo me fazendo de durão.
Amigos: Sou viciado neles.
Viagens: Até a próxima...
Livros: Compro mais do que leio.
Fotos: Tiro, imprimo e só mostro uma vez.
Teatro: Queria assistir mais e quero fazer, ao menos, um pouco.
Música: Para acordar, para dormir, para dirigir, no banho, na limpeza, lavando o quinta, andando, correndo ...
Cinema: Pelo menos duas vezes por mês.
Televisão: Na TV senado eu vejo o único "reality show" que os participantes já ganharam seus milhões. Sempre Zapeando.
Lost: Assista e vicie-se.
Pizza: Só de panela e da Vila Madalena.
Garfield: Meu dia só começa depois de ler uma tirinha do gato viciado em lasanha.
Piadas sem graça: Quanto mais sem graça, mais engraçada é, não?
Álcool: Não gosto do depois.
Cigarro: Menta e cravo.
Inventar histórias: Mas só engraçadas e mentirinhas que todo mundo sabe, ou deveria, o quão absurdas são.
Insônia: Todas as noites.
Ansiedade: Acho que não sei viver sem você.
Andar: Para tentar diminuir a ansiedade
Tocar violão: Toco tudo, quando estou sozinho, mas esqueço tudo quando tenho platéia.
Fofokut: Já devo ter fuçado no seu.
Inalar balõezinho de hélio: Só para falar "Join the dark side".
Dieta: Vida de modelo é foda.
Dirigir cantando e dançando: Orra, meu, puta trânsito para chegar na Bela Vista, meo!
Prometer: Tô te devendo algo?
Planos: Precisando de um, fale comigo.
Divagações: Do que estava falando, mesmo?
Falo: Falo por eu, tu, nós, vós e eles.
Em mim: Eu me amo, eu me amo, não sei viver sem mim.
Não terminar coisas: Existem outros itens que deveriam estar nessa lista, mas vou parar por aqui...


2 comentários:

Julia disse...

Cigarro..? CIGARRO, João??! :-(

Line para os íntimos. disse...

Vícios... nem me fale! Acho q com 20 anos já tinha uma coleção deles... e Hoje com 23, eles mudaram e aumentaram...

Eu sinto falta de uns... que o tempo me arrancou. Como tocar piano e praticar esportes. Espero que eles voltem. Porque a dor de deixar eles parados me consome, como uma droga.

Mas existe outros que surgiram... que me faz bem.