01 fevereiro 2009

Madonna é o C_ra_lh_ !

Sábado (31/1/2009) assisti ao show da melhor banda do Brasil e, por conveniência, ao melhor show. Não sei o que veio primeiro. Se foi o show ou a banda, mas eles são demais.

Com vocês, "Móveis Coloniais de Acaju"! - Ou apenas "móveis", para os íntimos. O nome da banda é uma 
homenagem ao não muito estudado fato histórico conhecido como "Revolta de Acajus", qu
e foi "um conflito entre índios e
 portugueses contra os ingleses na Ilha do Bananal".

Quente! Foi um show quente em uma noite quente em um lugar em que o ar-condicionado não parecia ser suficiente para refrescar 800 foliões que buscavam um lugar para assistir ao espetáculo "Seus Pares", onde duas ba
ndas brasileiras logo se apresentariam.

Cheguei, levemente, atrasado, mas seria injusto culpar o trânsito, a falta de vagas (já tentaram estacionar próximo do SESC Perdizes?) para parar o carro e as tentativas de estacionar o carro.  "I have a dream, I dream of a world, where people can easily reverse park".

Quando entrei na chopperia do SESC, a banda "Fino Coletivo" tocava e animava o público com seu misto Samba-MPB-sei-lá-o-quê (ainda estou me adaptando as novas regras gramaticais e por isso escrevo lá e cá), porém o público esperava pelo grande show da noite: Móveis.

Com uma pontualidade excepcional, a banda subiu ao palco lá pelas 22h e destilaram as algumas canções do álbum "Idem", lançado em 2005 e algumas inéditas do álbum, ainda não 
lançado "C_mpl_te", que será lançado, ainda, em 2008.

Lá pelas tantas a banda resolve abrir uma roda no meio do público, enquanto a trupe de 
metais toca (no palco e no meio da galera) uma melodia inspirada em canções russas. E deu certo. É muito bom assistir um show em que a banda parece estar feliz em estar ali com o público e no meio do público.

O público paga pouco, se diverte e aprecia os mais diferentes modelos de all-star por metro quadrado. 

Enquanto isso Madonna sai caro e encontra Jesus em NY.


Um comentário:

Thais disse...

Nunca ouvi falar... mas se você fala que é bom, eu acredito.
hum eu amo esses showzinhos no Sesc. que faltaaaaa me faz.
beijão